top of page

O impacto da Engenharia Elétrica na acessibilidade

Atualizado: 31 de mai.



A Engenharia Elétrica desempenha um papel crucial na promoção da acessibilidade em diversas áreas da vida moderna. Por meio da concepção, desenvolvimento e implementação de tecnologias elétricas e eletrônicas inovadoras, os engenheiros elétricos ajudam a criar soluções que facilitam o acesso a serviços, comunicação, transporte e informações para pessoas com diferentes capacidades e necessidades.


O que seria a acessibilidade na Engenharia Elétrica?


A acessibilidade refere-se à concepção e implementação de tecnologias e infraestruturas elétricas que garantem que pessoas com diferentes necessidades possam utilizar e se beneficiar desses sistemas. Isso envolve o projeto de dispositivos eletrônicos acessíveis, como interfaces de usuário intuitivas e controles remotos adaptados, bem como a criação de ambientes eletrificados que são facilmente navegáveis por pessoas com deficiências físicas ou sensoriais.


Com isso, há várias áreas em que a engenharia elétrica proporcionou inovações para melhorar a acessibilidade das pessoas, sendo estas alguns exemplos: 


Projeto de instalações acessíveis


Os engenheiros elétricos podem projetar sistemas elétricos em edifícios comerciais, residenciais e públicos de forma a garantir que interruptores, tomadas, luminárias e outros componentes sejam facilmente acessíveis para pessoas com deficiência física, como cadeirantes. Isso pode envolver a colocação estratégica de interruptores e tomadas em alturas acessíveis e a instalação de controles remotos para dispositivos elétricos.


Um exemplo disso é o Indicador Visual de Alerta, que é basicamente um dispositivo que é instalado junto da campainha, que permite com que pessoas com deficiências auditivas ou outras necessidades possam identificar quando alguém toca a campainha. Esse dispositivo funciona acionado flashes luminosos de alta potência que duram entre 15 e 20 segundos  no cômodo em que a pessoa se encontra 


Sistemas de comunicação acessíveis


O sistema de comunicação pode abranger a criação de dispositivos que interagem entre si pela Internet das Coisas (IoT). Isso pode incluir a incorporação de tecnologias de comunicação alternativas, como sinais luminosos ou vibratórios, para alertar pessoas surdas ou com deficiência auditiva e indivíduos com deficiência visual.


Uma inovação que está em bastante uso são os controles de voz que se refere à capacidade de controlar as funcionalidades do sistema por meio de comandos de voz. Assim, eles tornam- se os sistemas de comunicação mais acessíveis, permitindo que pessoas com dificuldades motoras participem de forma mais independente e eficaz em diversas atividades, desde videoconferências até o uso de aplicativos de mensagens instantâneas. Essa tecnologia ajuda a promover a inclusão digital e a garantir que todos tenham igualdade de acesso à comunicação eletrônica.


Tecnologias assistivas 


A engenharia elétrica também desempenha um papel na criação e desenvolvimento de tecnologias assistivas, como dispositivos de controle remoto e sistemas de automação residencial, que podem ajudar pessoas com deficiência a controlar dispositivos elétricos e eletrônicos em suas casas.


De forma geral, a automação pode trazer mais independência para idosos e pessoas com qualquer tipo ou grau de deficiência, a partir de tecnologias que permitem controlar diversas funcionalidades da casa por meio de um smartphone, tablet ou até por comandos de voz. Além disso, é possível também instalar sensores que alertam pessoas com certas deficiências sobre perigos em sua casa, por exemplo sensores de luz, gás, fumaça, inundações, calor, entre outros. 


Revolução das próteses modernas


Por muito tempo as próteses, especialmente as de membro inferior, eram feitas com madeira sustentada por alças de couro. Com o passar das duas Guerras Mundiais e outros conflitos armados inúmeras pessoas tiveram casos de amputações, que resultaram num aumento da demanda de próteses e, consequentemente, impulsionou a comunidade científica ao desenvolvimento de melhores tecnologias.


Este caminho evolutivo trouxe avanços em termos de material empregado ou tecnologia de suspensão. Passamos por próteses de madeira curvada, prótese de alumínio que reduziu o peso dos equipamentos, uso de poliuretano na composição, até as mais modernas que recuperam significativamente a mobilidade e a liberdade de movimento.


Hoje em dia, os pesquisadores desse ramo juntamente com engenheiros elétricos estão desenvolvendo e aprimorando as próteses biônicas, que são dispositivos de última geração que funcionam através de sensores conectados ao músculo do paciente, ou seja, estes sensores captam os pulsos elétricos e isso possibilita uma maior mobilidade principalmente para amputados de membros superiores.


Gostou do Conteúdo?

 

Gostou de aprender mais sobre a acessibilidade na Engenharia Elétrica? Aprendeu alguma coisa nova? Então nos siga nas redes sociais para sempre estar por dentro de novidades!! 

E caso tenha ficado interessado em descobrir como a 3E Unicamp pode te ajudar, entre em contato conosco AGORA mesmo de forma 100% gratuita e sem qualquer compromisso!



12 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page